Deixe um comentário

Hirsurtismo




O hirsutismo é identificado  pelo crescimento excessivo de pêlos terminais , em áreas do corpo que normalmente ocorrem apenas para o sexo masculino, tais como: Abdome, tórax, região das nádegas, face interna da coxa, região inguinal, dentre outras.. Diferente portanto da hipertricose, que é o excesso de pêlos localizados em regiões onde a mulher normalmente os têm.
   Os pêlos apresentam seu crescimento na dependência de hormônios produzidos pelo organismo. Esses hormônios agem no folículo piloso fazendo com que eles cresçam. Apenas a testosterona (hormônio masculino), que se encontra na forma livre no organismo, é capaz de atuar junto ao folículo piloso e promover o crescimento deles. Assim, o hirsutismo pode aparecer na presença aumentada dos hormônios androgênios (hormônios masculinos presentes também nas mulheres) devido ao aumento da sensibilidade dos receptores a estes hormônios ou pela alteração no transporte deles no organismo, fazendo com que aumente a fração livre do hormônio circulante.
      Portanto, mesmo com a taxa de hormônios masculinos dentro do limite da normalidade, pode haver crescimento dos pêlos graças a uma sensibilidade maior do folículo piloso.
       Uma situação curiosa é a da mulher durante a menopausa. Em geral ocorre o que chamamos de aumento relativo dos hormônios masculinos, ou seja, a taxa total está normal, mas se comparadas com as taxas de hormônios femininos, que estão diminuídas nesse período, vê-se que os hormônios masculinos estão aumentados. Assim podem aparecer alguns pêlos principalmente na face dessas mulheres.
        No hirsutismo é  necessário avaliá-lo através de uma escala que nos permita quantificá-lo e saber seu grau de comprometimento.Essa escala é conhecida como Escala de Ferrimam e Gallwey e deve ser utilizada pelo médico ao avaliar sua paciente. Através dela podemos saber o grau de acometimento da paciente. É muito importante saber de que forma apareceram esses pêlos, ou seja, se foi de uma maneira repentina ou não e se sua evolução está lenta ou rápida.

        O tratamento consiste na retirada dos pelos por depilação ou eletrólise, parar a utilização de algum medicamento que possa estar causando tal disfunção e usar os fármacos (geralmente são utilizados antiandrogênios) recomendados pelo médico. É bom saber que a vida de um folículo piloso é de meses e assim, respostas para o tratamento devem ser esperadas somente após esse período, de 3 a 6 meses. A perda de peso, quando necessário, é também uma forma de tratamento.

Vejam mais fotos de hirsutismo:


Deixe uma resposta