Deixe um comentário

História da depilação



Quem não gosta de novidades? Modificar hábitos, renovar costumes?Então  convido você a conhecer um pouco da história da depilação.










Em 2000 a.C., as mulheres gregas extraíam os pêlos com as mãos, ou queimavam-nos com cinzas quentes sobre a pele. A dor era tanta que as sacerdotisas dos templos de Creta tragavam uma bebida forte, que entorpecia o corpo. Uma espécie de anestesia que evitava assim o sofrimento 

 

Foi na Grécia Antiga, que desenvolveram um utensílio denominado estrigil , que consistia  numa pequena vara de aproximadamente vinte centímetros de comprimento com a ponta curva.
Untava-se a pele com pastas à base de vegetais, cinzas e argila e, depois de algum tempo, retiravam-nas da pele com o uso do instrumento. Isso tudo acontecia, numa espécie de sauna, num ambiente com muito vapor d’água. Os pêlos mais resistentes eram retirados com o auxilio das pinças. 
Sabe-se que o Egito foi o berço da estética corporal, e desenvolveu a cera egípcia, utilizada por este povo no ato de arrancar pêlos. Cleópatra tirava seus tão indesejáveis pêlos com faixas de tecidos finos banhados em cera quente.

Os romanos usavam composições das quais algumas  continham soda cáustica como destacado ingrediente. A história nos revela também que em 1500 a.C. os homens já removiam os pelos com um depilador feito de sangue de diversos animais, gordura de hipopótamo, carcaça de tartaruga e trissulfeto de antimônio.
Na idade média (idade das trevas), a depilação era totalmente combatida, havia uma preocupação muito grande com o pudor, e os hábitos básicos de higiene, como tomar banho, era tido como pecaminoso. Relata-se que, se alguém ousasse tirar seus pelos, poderia até mesmo ser acusado de bruxaria ou heresia e pagar com a própria vida a vaidade.
No Brasil, a carta que Pero Vaz de Caminha, descrevendo suas impressões sobre o Brasil, já se viu o registro que as índias não possuíam pelo pubiano, imaginava-se que por genética haviam nascido sem eles, mas descobriu-se que elas raspavam os pêlos com espinha do peixe (peixe–lixa).

Em 1742 Na França, PERONET, inspirado no método egípcio, cria a depilação com cera e a  medida que as roupas foram ficando mais curtas e justas, isso já no século XX, o corpo foi se mostrando e não era nada agradável mostrar axilas e pernas peludas, em controvérsia o movimento rippies de 1960 e 1970 pregava a liberdade e desprendimento com as coisas materiais e luxos.
Como percebemos o hábito de depilação é antigo, teve fases de altos e baixos, mas há muitos anos está inserido como uma ação primordial tanto do senso estético como higiene. A cada ano podemos ver que ceras ou instrumentos e métodos são lançados com a intenção de melhorar e aprimorar as técnicas de depilação, buscando alcançar mulheres e homens.

Finalmente, nas duas últimas décadas, a adesão passa a ser total, sendo a depilação feita nas pernas, axilas, braços e, por vezes, na região púbica de mulheres e também de homens. Porém convém que a depilação seja realizada por uma profissional, para assegurar um melhor resultado e com uma maior duração.

Deixe uma resposta