Deixe um comentário

Quais são os riscos de reaproveitar a cera de depilação?

E ai, minhas meninas e meninos, tudo bem?

       

Depois de algumas ausências no blog, volto para falar sobre ceras recicladas. Esse assunto sempre entra em pauta, nas minhas aulas. É preciso lembrar que apesar da alta temperatura, a cera reaquecida, mesmo que muitas vezes, não elimina o risco de uma contaminação através de vírus, bactérias e fungos. O vírus HPV; doenças causadas por fungos e bactérias podem ser transmitidas se houver a reutilização da cera.


Não tenho como ensinar, um método para identificar uma cera reutilizada, mas existem alguns itens básicos que devem ser observados: Verifique se a sua depiladora, usa máscara, luvas, touca e jaleco.

Observe se existe no ambiente algum equipamento de esterilização, se a termocera está limpa ou mantem uma aparência de cera velha pelas bordas. (Veja foto )

Para os profissionais da área, é bom que se saiba que nada de jeitinho brasileiro, nada de abrir exceções, você não pode e nem deve colocar a saúde do seu cliente em risco. Descartar a cera é pré-requisito no processo de depilação

O HPV (papilomavírus humano), um vírus responsável por 70% dos casos de câncer de colo de útero, é altamente contagiosos , super resistente e é uma das doença mais perigosa e complicada de ser tratada .

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras do HPV, cerca de 270 mil morrem por ano devido ao câncer do colo do útero. No Brasil, o Inca (Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva) estimou o surgimento de 15 mil novos casos da doença.

Observando esse  cenário, o Ministério da Saúde realiza campanha anual de vacinação contra o vírus. Até o início de dezembro, 5 milhões de meninas com idades entre 11 e 13 anos foram imunizadas; a partir de 2015, as pequenas de 9 a 11 serão vacinadas.
Como minimizar os riscos
Clínicas de depilação do Rio de Janeiro e de São Paulo têm oferecido às clientes a opção de levar para casa a cera usada durante as sessões, como uma forma de as mulheres terem certeza de que esse material não será reutilizado em outra pessoa e possa causar alguma contaminação.
A única opção é nunca usar cera reaproveitada. É preciso estar sempre atenta e procurar um profissional de confiança, pois em sala de aula, sempre ouço relatos de que em  alguns salões, a cera é reaquecida e passada em uma espécie de peneira para retirar algum resquício de pelo e parecer novinha. Como dizem os escoteiros: “Sempre alerta!”

Deixe uma resposta